ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

Hoje (23h do dia 22 de Dezembro de 2012) ocorreu mais uma das tantas ações da GNR, com vista a travar a apanha do meixão (enguia branca) em Esposende.

Assisti a pelo menos uns 40 agentes a correr, quais maratonistas, a fim de apanhar os pobres desgraçados que se encontravam já no rio a pescar.

Não entendo o porquê desta proibição e também a razão para considerar crime esta arte de pesca, falo com conhecimento de causa, pois já por algumas vezes fui com pescadores à referida enguia, sei que nada se apanha a não ser a mesma e, em Esposende, apenas se apanha enguia nos meses em que é impossível sair para o mar devido ao estado da barra.

Numa outra ação, ouvi um agente a falar que os pescadores ficam ricos com a apanha do meixão, claro que não devo responder a uma autoridade, mas posso escrever aqui que, se esse sr acha que eles ficam ricos, que troque de profissão, está em tempo pois ainda me pareceu de tenra idade.

Contas fáceis e para que se saiba, este mês, em 22 dias, foram possíveis umas 8 vezes ir à pesca da enguia branca, sei que média cada pescador apanhou entre 0,100 e 0,150 Kg de enguia, isto a ser pago a 300euros (preço praticado durante este mês, no mês passado esteve a ser paga a 200e e 250e), isto dá 30 euros a cada das 8 mares, tiremos 10e para a gasolina que todos os dias se gasta, ficam com 20e por cada dia, multiplique-mos então por 8 dias =160euros. Isto é riqueza sr agente?!

Não conheço um único pescador de Esposende que se passeie num qualquer carro de média gama que seja, que tenha casas com luxos, que não tenha dificuldades para manter as contas em dia.

 

Causa-me espécie este tipo de abordagens por parte das autoridades e dos que tanto julgam saber sobre as artes que nunca praticaram.

 

Considerar a apanha do meixão crime e apontar armas a homens que a unica arma que levam para o rio e para o mar é a coragem é algo que não me cabe.

 

Envergonhem-se agentes, deixem trabalhar e ganhar o que vocês julgam tanto e no entanto é tão pouco e a nada chega.

 

 

Exibições: 719

Responder esta

Respostas a este tópico

Se tivermos em conta que uma enguia "branca" pesa menos de 1% do seu peso em adulta, penso que é uma pena acabar com ela à nascença, até porque ela não chega sequer a procriar! Mas temos que ver uma coisa: os pescadores, como toda a gente, comem, ou têm direito a comer todos os dias, e nós sabemos que uma grande parte do ano eles sâo impedidos de ganhar o seu sustento! Se esta profissão não fizesse falta à sociedade, eu diria para eles mudarem de profissão, mas esta é uma profissão fundamental e por isso não podemos prescindir da sua atividade! Assim, penso que se o governo quer proteger a sociedade da perda de protaínas, devia também, de alguma forma, compensar os pescadores pela perda de valores importantes para a sua sobrevivência.

Coisa esquisita! Afinal, o meixão é de tamanho tão ínfimo como sugere a leitura destes comentários? 

Também, tudo levado em conta, sugere-me o texto do Zé Meiras, estão tratando de matar a galinha dos ovos de ouro. Ou não?  Aliás, pescar a enguia ainda "branca" só fará sentido se, quando não "branca" a enguia nada valer comercialmente - nem mesmo em termos alimentares - o que desconheço.

Como em tudo na Natureza há que explorar atendendo ao ciclo natural de desenvolvimento dos seres atentando para o defeso. Os pescadores precisam conhecer ( ser educados sobre as espécies de que dispõem para explorar ), compreender e agir com conhecimento, conscientes das consequências que vão resultar de suas ações porque ele será o beneficiário ou a vítima de seus atos.

 

Toninho:

Estou de acordo com o seu texto.

Deixemos de desculpas mas  as espécies têm o seu ciclo de nascimento, crescimento e desenvolvimento e fechado este ciclo, os pescadores e todos nós ganharemos.

 Tem de haver fortes restrições à apanha da angula e o que é necessário é compensar os pescadores quando não vão ao mar.

Tenho alguns amigos pescadores que me disseram: ganhei dinheiro a monte com a "enguia branca"...

Os tempos atuais são diferentes, reconheço mas no passado, conheço a realidade porque vivo e vivi no seio da classe piscatória.

 Mudemos de assunto!

Olá Rúben.

Andando eu por este nosso cantinho a ver coisas importantes aqui tratadas, deparo-me com este problemático assunto

( APANHA DO MEIXÃO EM ESPOSENDE ). Está claro que os pescadores precisam de mais meios de sobrevivência, embora concorde que qualquer espécie deve ser protegida. Então eu pergunto:- Não podem estabelecer regras, estipulando o que cada um pudesse apanhar ? Não vai há muito tempo que li no jornal, creio que JORNAL DE NOTÍCIAS, um artigo sobre a proibição desta espécie, mas, curiosamente e para meu espanto, havia zonas onde é permitido apanhar, como por exemplo Caminha. Ou a notícia estava mal dada, ou estamos perante uma grande injustiça.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço