ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

A cada dezembro jurei fazer do Natal uma experiência calma e pací­fica. Cortei obrigações não essenciais tais como escrever cartões demais, cozinhar por muito tempo, fazer muitas decorações, e até gastar demais. Ainda assim eu me encontrava exausta, sem ser capaz de apreciar os pre­ciosos momentos em família e, claro, o verdadeiro sentido do Natal.

O meu filho, Nicholas, estava no jardim de infáncia naquele ano, e era uma época excitante para ele. Por semanas, ele andava memorizando músi­cas para a peça de inverno de sua escola. Eu não tive coragem de lhe dizer que estaria trabalhando na noite da sua apresentação. Não querendo perder o seu momento de glória, falei com sua professora. Ela me assegurou que haveria um último ensaio, com as roupas do show, na manhã da apresenta­ção. Todos os pais que não pudessem comparecer na noite da apresentação, seriam bem-vindos. Felizmente, Nicholas pareceu satisfeito com isso.

Na manhã do ensaio, cheguei dez minutos mais cedo, encontrei um lugar no andar da cafeteria e me sentei. Vi vários outros pais ali na sala procurando silenciosamente um lugar onde se sentar. Enquanto aguar­dava, os alunos foram direcionados à sala. Cada turma, acompanhada pela professora, sentou-se de pernas cruzadas no chão. Então, um por um, cada grupo se levantou para apresentar sua música.

Como o sistema de ensino público nos EUA parou há muito tempo de se referir ao feriado como "Christmas," eu não esperava muito mais do que diversão, músicas comerciais sobre renas, Papai Noel, flocos de neve, e uma boas festas. Então, quando a turma do meu filho se levantou para cantar, "Christmas Love" (O Amor de Natal), fiquei um pouco surpresa com o título audacioso.

Nicholas brilhava, assim como todos os seus companheiros de turma, adornados com luvas felpudas e suéteres vermelhos, e chapéus de neve brilhantes na cabeça. Os que estavam na fileira da frente e no centro do palco, seguravam letras grandes que, uma por uma, soletravam o título da música. Quando a turma cantava "C é para Christmas (Natal)," uma criança levantava a letra C. Depois, "H é para Happy (Feliz)," e por aí em diante, até cada criança ter apresentado a mensagem completa, "Christ­mas Love" (O Amor de Natal).

A apresentação estava fluindo tranquilamente, até que, de repente, notamos uma menina pequena e quieta na fileira da frente segurando sua letra "M" de cabeça para baixo, totalmente desapercebida que o seu "M" parecia um "W."

Os alunos da 1ª à 6ª série riram-se do erro da pequena, mas ela não fazia idéia que as pessoas estavam rindo dela, então se levantou toda orgulhosa, segurando o seu "W." Apesar das professoras terem ten­tado calar as crianças, as risadas continuaram até a última letra ser levantada, e todos as vimos juntos.

O público ficou quieto, e todos os olhos se arregalaram. Naquele ins­tante, entendemos a razão porque estávamos lá, e porque celebramos esse feriado para começar. Era como se mesmo em meio ao caos, existisse um propósito em nossas festividades. Pois quando a última letra foi erguida bem alta, a mensa­gem podia ser lida bem claramente.

"C H R I S T W A S L O V E" (CRISTO ERA AMOR).

E Ele ainda é. Fiquei maravi­lhada com a presença de Jesus, e humilhada diante do Seu amor.

Exibições: 101

Responder esta

Respostas a este tópico

Presentes em época de recessão...
Tempo. Você ficaria surpreso com o número de pessoas que preferiria ganhar un fim de tarde na sua companhia do que um presente embrulhado.
Cartões de apreço. Em vez dos cartões de Natal comerciais com mensagens genéricas, faça cartões prometendo realizar consertos, trabalhos de limpeza, cuidar do bebê, pequenos favores, ensinar algo, o algum outro serviço.
Presentes feitos em casa, pode sugerir que as pessoas façam elas mesmas o que vão dar, um trabalho manual, o algo que cozinhem, Uhmm.. em vez de presentes caros.
Pense em Esposende. Se fizer as compras em pequenos estabelecimentos que tem dificuldades para competir com as grandes redes, poderá presentear a dois: a pessoa que receberá e o dono da loja de Esposende.
Seja voluntário em alguma instituição local. Torne o Natal dos outros especial celebrando com eles, e isso fortalecerá nossos laços.
Distribuia presentes. Presenteie uma familia carente em seu entorno. Levemos os filhos ás compras e ajude-os a escolher os presentes a doar. A organizações que podem lhe indicar uma família carente, se precisa.
Talvez não possamos neste ano dar presentes materiais com nos anteriores, mas uma coisa é quase certa: o que dermos será mais valorizado do que seria em tempos passados! Feliz Natal!
O Brilho do Natal
A estatueta de um anjo segurando pela mão um menininho fora colocada fora de vista numa prateleira no fundo de uma loja de antiguidades. Estava encardida e empoeirada, perdida no meio de potes, peças de cerámica e adornos. Mexendo na prateleira, um senhor encontrou a estatueta e teve uma súbita inspiração: tirá-la do esquecimento, restaurá-la e lhe dar um lugar de honra entre os seus enfeites de Natal.
Na sua oficina no porão de casa, o homem revestiu o anjo e a criança com uma tinta branca brilhante, a partir do que pintou as asas do anjo e o cabelo do menininho com um dourado cintilante. Cada pincelada fazia maravilhas, e pouco a pouco a velha estatueta encardida deu lugar a uma totalmente nova, transformada numa peça de radiante beleza.
Enquanto pintava, o homem pensou: "Não é isso o que acontece às pessoas no Natal? Elas chegam ao fim do ano "encardidas" devido à luta constante, e no Natal se sentem inspiradas a recuperar sua pintura, sua natureza, através do amor, da alegria e da paz." — A arte de restaurar o anjo!
A tarefa permanente do ser humano é jamais se deixar afundar no pó e na sujeira, mas, heroicamente, levantar-se sempre que cair.
Restaure o anjo! Você não precisa perder seus ideais, sonhos e metas. Pode sempre resgatá-los com a glória de uma esperança renovada.
Nada é por acaso.
Para Acabar com o Estresse no Natal
O Natal é uma ótima época para compartilhar, para se reunir com amigos novos e antigos, para redescobrir a importáncia da unidade familiar e da espiritualidade...
Mas o Natal também pode ser desgastante e até frustrante se não administrarmos bem nosso tempo e policiarmos nosso estado de espírito. Eu que o diga, pois sou gerente de uma livraria que fica extremamente cheia nos meses de novembro e dezembro, e além disso a minha família quer que eu passe mais tempo com eles. — São as compras a serem feitas, as festas, e outras atividades costumeiras.
Como normalmente converso com muita gente estressada nesta época do ano, tenho uns conselhos que, espero, o ajudem a aproveitar ao máximo esta maravilhosa ocasião, sem se deixar levar negativamente por ela.
Mantenha a perspectiva lembrando-se da razão do Natal, que é a comemoração do nascimento de Jesus Cristo. O conceito de "paz na Terra aos homens (e mulheres!) de boa vontade" é universal e deve ser compartilhado. Só que às vezes é difícil se lembrar dele quando você está desesperado por uma vaga no estacionamento lotado de um shopping, mas vale a pena o esforço.
Planeje. Por que será que muitos de nós cada ano ficamos chocados ao "de repente" percebermos que é quase Natal e ainda não preparamos nada? É verdade, dá para esperar até o último minuto, mas seria muito melhor e mais fácil comprar e embrulhar os presentes com antecedência e já guardá-los! Você pode até começar os projetos de Natal em julho, assim quando chegar o mês de dezembro, vai poder só "curtir" — e deixar os menos organizados morrendo de inveja!
Mantenha tudo simples. Simplicidade é uma virtude. Comemorações como o Natal não precisam e nem deveriam ser complexas. Deveríamos dar presentes para demonstrar nosso carinho pela pessoa, não para impressioná-la com a nossa condição financeira. Não se ofereça para fazer dois milhões de biscoitos para a festa de Natal da escola. Certamente você deve participar, mas não se ofereça para fazer algo que não tem condições de fazer. Sua família, seus amigos e colegas, o seu bairro e outras pessoas, todos precisam de você, então distribua o seu tempo de acordo com a situação.
Seja caridoso. A caridade começa em casa, mas não é para acabar ali. Os presentes que mais gostamos de dar normalmente são para pessoas estranhas ou que mal conhecemos. Existem famílias no seu bairro cujos filhos não vão ganhar tantos presentes quanto os seus neste Natal? Por que não compra um brinquedinho, um jogo, um quebra-cabeça ou algo a mais, para as pessoas que não têm tanta condição? Talvez a sua escola ou escritório possa organizar uma festinha, e nesse caso você pode oferecer a sua ajuda. É bem gratificante, e ajudar outros é a melhor maneira de aliviar o estresse na sua própria vida.
Planeje momentos tranqüilos. Para algumas pessoas talvez isso signifique ir a um culto religioso sobre o Natal logo cedo. É uma ótima maneira de começar o dia.
Para outras talvez signifique dedicar um tempinho cada dia para refletir sobre a beleza do Natal.
Seja como for, não deixe de fazer planos de parar, orar e agradecer, enchendo o coração com os bons sentimentos que Deus pode lhe dar.
O Natal é uma época maravilhosa. Aproveite-a! — Adaptado de D.J. Adams
É isso mesmo, Maria José.
A vida, em sua complexidade, poderia ser levada com facilidade não fôssemos nós, humanos, capazes de complicá-la, ao ponto de torná-la de morte.
Nossos desejos de que viva um Natal de Paz e Amor.
MINDA & ANJO



Maria Jose Diaz Garcia disse:
Para Acabar com o Estresse no Natal
O Natal é uma ótima época para compartilhar, para se reunir com amigos novos e antigos, para redescobrir a importáncia da unidade familiar e da espiritualidade...
Mas o Natal também pode ser desgastante e até frustrante se não administrarmos bem nosso tempo e policiarmos nosso estado de espírito. Eu que o diga, pois sou gerente de uma livraria que fica extremamente cheia nos meses de novembro e dezembro, e além disso a minha família quer que eu passe mais tempo com eles. — São as compras a serem feitas, as festas, e outras atividades costumeiras.
Como normalmente converso com muita gente estressada nesta época do ano, tenho uns conselhos que, espero, o ajudem a aproveitar ao máximo esta maravilhosa ocasião, sem se deixar levar negativamente por ela.
Mantenha a perspectiva lembrando-se da razão do Natal, que é a comemoração do nascimento de Jesus Cristo. O conceito de "paz na Terra aos homens (e mulheres!) de boa vontade" é universal e deve ser compartilhado. Só que às vezes é difícil se lembrar dele quando você está desesperado por uma vaga no estacionamento lotado de um shopping, mas vale a pena o esforço.
Planeje. Por que será que muitos de nós cada ano ficamos chocados ao "de repente" percebermos que é quase Natal e ainda não preparamos nada? É verdade, dá para esperar até o último minuto, mas seria muito melhor e mais fácil comprar e embrulhar os presentes com antecedência e já guardá-los! Você pode até começar os projetos de Natal em julho, assim quando chegar o mês de dezembro, vai poder só "curtir" — e deixar os menos organizados morrendo de inveja!
Mantenha tudo simples. Simplicidade é uma virtude. Comemorações como o Natal não precisam e nem deveriam ser complexas. Deveríamos dar presentes para demonstrar nosso carinho pela pessoa, não para impressioná-la com a nossa condição financeira. Não se ofereça para fazer dois milhões de biscoitos para a festa de Natal da escola. Certamente você deve participar, mas não se ofereça para fazer algo que não tem condições de fazer. Sua família, seus amigos e colegas, o seu bairro e outras pessoas, todos precisam de você, então distribua o seu tempo de acordo com a situação.
Seja caridoso. A caridade começa em casa, mas não é para acabar ali. Os presentes que mais gostamos de dar normalmente são para pessoas estranhas ou que mal conhecemos. Existem famílias no seu bairro cujos filhos não vão ganhar tantos presentes quanto os seus neste Natal? Por que não compra um brinquedinho, um jogo, um quebra-cabeça ou algo a mais, para as pessoas que não têm tanta condição? Talvez a sua escola ou escritório possa organizar uma festinha, e nesse caso você pode oferecer a sua ajuda. É bem gratificante, e ajudar outros é a melhor maneira de aliviar o estresse na sua própria vida.
Planeje momentos tranqüilos. Para algumas pessoas talvez isso signifique ir a um culto religioso sobre o Natal logo cedo. É uma ótima maneira de começar o dia.
Para outras talvez signifique dedicar um tempinho cada dia para refletir sobre a beleza do Natal.
Seja como for, não deixe de fazer planos de parar, orar e agradecer, enchendo o coração com os bons sentimentos que Deus pode lhe dar.
O Natal é uma época maravilhosa. Aproveite-a! — Adaptado de D.J. Adams
Na véspera do Natal de 1604, um clérigo conhecido como frade Giovanni escreveu uma carta para a condessa Allagra Aidobrandeschi, que morava em Florença, na Itália. Desde então essa carta tem sido lembrada e muitas vezes citada.
“Saúdo-a, nobre condessa. Sou seu servo mais dedicado.
Condessa, perdoe as palavras vãs de um velho, mas sou seu amigo e tenho um amor profundo por Vossa Senhoria.
Tudo o que eu poderia lhe dar a senhora já possui. Existe, porém, muita coisa, muita mesmo, que, apesar de não ter condições de lhe dar, a senhora pode ter.
Nunca teremos o sentimento celestial se não descansarmos o nosso coração no Céu. Aceite o Céu!
Não há paz futura que não se encontre também escondida no momento presente. Console-se!
A tristeza deste mundo nada mais é que uma sombra. Por trás dela, ainda ao nosso alcance, há alegria. Há brilho e glória na escuridão, se apenas pudéssemos ver; e para ver, temos somente que olhar. Condessa, rogo-lhe que olhe.
A vida dá tão generosamente a nós. Todavia, julgando seus regalos pela aparência, nós os descartamos, considerando-os feios, pesados ou difíceis.
Se afastar os embrulhos, encontrará um vivo resplendor, de amor, sabedoria e poder entremeados.
Aceitando-o e abraçando-o, estará tocando o anjo que lha trouxe.
Acredite, em tudo que temos por provação, pesar ou obrigação, a mão do anjo está presente, os regalos também, e a maravilha de uma Presença tão maior do que a nossa.
Nossas felicidades também: não se contente com elas como alegrias, pois também ocultam regalos mais sublimes.
A vida é tão cheia de sentido e propósito, tão cheia de beleza por baixo dos embrulhos, que verá que a Terra apenas encobre o seu céu.
Basta coragem, portanto, para clamá-la! Mas coragem a senhora tem, e a ciência de que somos peregrinos aqui, viandando por terras desconhecidas, rumo à casa.
Logo, saúdo-a neste Natal, não como o mundo saúda, mas com profunda estima; orando que para a senhora, a manhã rompa e as trevas fujam, no momento e eternamente.”
Presentes de Natal
Joao, um amigo meu, ganhou um carro de presente de Natal do seu irmão. Na noite de Natal, quando Joao saiu do escritório, um menino pobre rondava o seu carro novo, admirando-o. "Este carro é seu, moço?" perguntou.
Joao acenou que sim com a cabeça e disse: "O meu irmão me deu de presente de Natal".
O menino ficou chocado! "Quer dizer que o seu irmão te deu e não te custou nada? Nossa, quem me dera…" ele hesitou.
É claro que Joao sabia o que passava pela cabeça dele. Ele ia querer ter um irmão assim. Mas o que o menino disse fez com que Joao quase tremesse da cabeça aos pés.
"Quem me dera", continuou o menino, "ser um irmão assim."
Joao olhou boquiaberto para o garoto, e depois, impulsivamente perguntou: "Você quer dar uma volta no meu carro?"
"Quero sim, adoraria!"
Depois de uma voltinha, o menino, com um brilho nos olhos, disse: "O senhor se importa de passar na frente da minha casa?"
Joao deu um sorrisinho. Ele achava que sabia o que o menino queria: mostrar aos vizinhos que podia ir para casa num carro bonito. Mas Joao mais uma vez estava errado. "O senhor pode dar uma paradinha na frente daquela escada ali?" pediu o menino, e correu pela escada acima.
Pouco depois, Joao o ouviu voltar, mas ele não vinha depressa. Carregava o seu irmãozinho aleijado. Ele o sentou no último degrau, e depois meio abraçado com ele apontou para o carro e disse:
"Ali está, amigão, exatamente como eu te disse lá em cima. O irmão dele deu para ele de presente de Natal e não lhe custou nem um centavo. E um dia eu vou te dar um igualzinho… E aí você vai poder andar por aí e ver todas as coisas que eu tenho te contado."
Joao saiu do carro e sentou o menininho no assento da frente do carro. O irmão mais velho entrou então no carro com um brilho nos olhos e sentou-se ao lado dele, e os três então deram um inesquecível passeio de Natal. Naquela véspera de Natal Joao aprendeu o significado de "é melhor dar do que receber".
http://www.youtube.com/watch?v=nhxf2Xg4xGc&feature=player_embedded

José Alexandre OBRIGADO, aconselho a todos a visita :)

João Octávio
Sera que alguem recorda do Natal em Esposende antes da creação das grandes superficies? Vivo nesta bela vila, Esposende, faz pouco tempo e adoraria conocer da historia de como se vivia o Natal neste precioso lugar uns anos atras...

"O único presente que existe é dar uma parte de si mesmo". É isso o que são estes doze presentes: dádivas de si mesmo. Não custam nada, mas são das coisas mais preciosas que se pode dar a amigos e parentes. Os efeitos podem durar a vida inteira.
Você talvez ache que tem pouco a oferecer aos outros que vá realmente causar uma diferença na vida deles, mas isso não é verdade. Esta lista mostra como você pode dar, oferecendo a outros presentes que serão apreciados para sempre, começando com…
Tempo
Neste nosso mundo atarefado, a frase "Não tenho tempo", tornou-se uma queixa universal. Como uma planta em crescimento, qualquer relação entre duas pessoas só pode desabrochar se receber cuidados. A maioria dos relacionamentos humanos se beneficia de um simples tónico chamado "tintura do tempo". Bater um papo ao telefone com um amigo infeliz, ou uma visita de meia-hora a uma tia que vive sozinha pode significar muito, e custa pouco.
Dar um bom exemplo
A maioria das pessoas aprende atitudes e comportamento fundamentais observando os outros. Dê um bom exemplo lidando com situações difíceis com maturidade.
Aceitação
Muitos problemas entre maridos e mulheres, ou entre amigos, começam quando uma pessoa tenta mudar a outra para encaixar em noções preconcebidas. Mas você sabia que, muitas vezes, as pessoas começam a largar maus hábitos quando são aceitas do jeito que são?
Ver o melhor nos outros
Quando esperamos que as pessoas reajam de uma maneira positiva, geralmente é o que acontece.
Deixar um mau hábito
Todos nós temos hábitos que incomodam aqueles que amamos. Seria um presente enorme se pudéssemos deixar um hábito desagradável ou prejudicial à saúde.
Ensinar
Ajudar alguém que você ama a aprender algo novo é um investimento importante na futura felicidade da pessoa. Compartilhar nossos talentos com os outros é uma boa maneira de demonstrar o nosso amor.
Escutar
Poucos sabem como escutar eficientemente. Muitas vezes interrompemos ou mostramos desinteresse quando alguém está falando.
Divertir-se
Algumas pessoas "estragam" a felicidade daqueles à sua volta, enquanto que outras os ajudam a se divertir em situações triviais.
Deixar os outros darem
Quando deixamos os outros nos darem e quando aceitamos seus presentes de uma maneira afável, talvez estejamos dando-lhes um dos presentes mais importantes de todos.
Privacidade
Muitas vezes, temos a tendência de sufocar aqueles que amamos com perguntas e exigindo que nos dêem o seu tempo. Cada um de nós tem necessidade de companhia e também de privacidade. Ocasionalmente, deixe a sua curiosidade natural de lado e dê a seus entes queridos o direito a seus pensamentos particulares e sentimentos não falados.
Auto-estima
É difícil resistir à tentação de oferecer conselhos e ajuda desnecessários e não desejados, àqueles que amamos. Tais conselhos podem, sem querer, prejudicar a auto-estima da pessoa. Existe um ditado chinês que diz: "Não existe bem-aventurança maior na Terra do que uma mãe; mas não existe bem-aventurança maior no Céu do que uma mãe que sabe quando deve abrir a mão."
Deixar que os outros nos vejam por dentro
Relacionamentos podem crescer e desenvolver-se ou deteriorar-se e decair. Deixar que os outros nos vejam por dentro, que descubram mais sobre nós, pode transformar uma relação murcha, numa cheia de vida. Além disso, pode ajudar a suster uma amizade ou um casamento já firme. Guardar para si sentimentos, ressentimentos e esperanças não é saudável, e também não dá aos outros a oportunidade de saberem quem você realmente é.
Gratos, Maria José, por proporcionarmos a oportunidade de repensar sobre tudo isto.
Feliz Natal.
Minda & Anjo

Maria Jose Diaz Garcia disse:
Sera que alguem recorda do Natal em Esposende antes da creação das grandes superficies? Vivo nesta bela vila, Esposende, faz pouco tempo e adoraria conocer da historia de como se vivia o Natal neste precioso lugar uns anos atras...

"O único presente que existe é dar uma parte de si mesmo". É isso o que são estes doze presentes: dádivas de si mesmo. Não custam nada, mas são das coisas mais preciosas que se pode dar a amigos e parentes. Os efeitos podem durar a vida inteira.
Você talvez ache que tem pouco a oferecer aos outros que vá realmente causar uma diferença na vida deles, mas isso não é verdade. Esta lista mostra como você pode dar, oferecendo a outros presentes que serão apreciados para sempre, começando com…
Tempo
Neste nosso mundo atarefado, a frase "Não tenho tempo", tornou-se uma queixa universal. Como uma planta em crescimento, qualquer relação entre duas pessoas só pode desabrochar se receber cuidados. A maioria dos relacionamentos humanos se beneficia de um simples tónico chamado "tintura do tempo". Bater um papo ao telefone com um amigo infeliz, ou uma visita de meia-hora a uma tia que vive sozinha pode significar muito, e custa pouco.
Dar um bom exemplo
A maioria das pessoas aprende atitudes e comportamento fundamentais observando os outros. Dê um bom exemplo lidando com situações difíceis com maturidade.
Aceitação
Muitos problemas entre maridos e mulheres, ou entre amigos, começam quando uma pessoa tenta mudar a outra para encaixar em noções preconcebidas. Mas você sabia que, muitas vezes, as pessoas começam a largar maus hábitos quando são aceitas do jeito que são?
Ver o melhor nos outros
Quando esperamos que as pessoas reajam de uma maneira positiva, geralmente é o que acontece.
Deixar um mau hábito
Todos nós temos hábitos que incomodam aqueles que amamos. Seria um presente enorme se pudéssemos deixar um hábito desagradável ou prejudicial à saúde.
Ensinar
Ajudar alguém que você ama a aprender algo novo é um investimento importante na futura felicidade da pessoa. Compartilhar nossos talentos com os outros é uma boa maneira de demonstrar o nosso amor.
Escutar
Poucos sabem como escutar eficientemente. Muitas vezes interrompemos ou mostramos desinteresse quando alguém está falando.
Divertir-se
Algumas pessoas "estragam" a felicidade daqueles à sua volta, enquanto que outras os ajudam a se divertir em situações triviais.
Deixar os outros darem
Quando deixamos os outros nos darem e quando aceitamos seus presentes de uma maneira afável, talvez estejamos dando-lhes um dos presentes mais importantes de todos.
Privacidade
Muitas vezes, temos a tendência de sufocar aqueles que amamos com perguntas e exigindo que nos dêem o seu tempo. Cada um de nós tem necessidade de companhia e também de privacidade. Ocasionalmente, deixe a sua curiosidade natural de lado e dê a seus entes queridos o direito a seus pensamentos particulares e sentimentos não falados.
Auto-estima
É difícil resistir à tentação de oferecer conselhos e ajuda desnecessários e não desejados, àqueles que amamos. Tais conselhos podem, sem querer, prejudicar a auto-estima da pessoa. Existe um ditado chinês que diz: "Não existe bem-aventurança maior na Terra do que uma mãe; mas não existe bem-aventurança maior no Céu do que uma mãe que sabe quando deve abrir a mão."
Deixar que os outros nos vejam por dentro
Relacionamentos podem crescer e desenvolver-se ou deteriorar-se e decair. Deixar que os outros nos vejam por dentro, que descubram mais sobre nós, pode transformar uma relação murcha, numa cheia de vida. Além disso, pode ajudar a suster uma amizade ou um casamento já firme. Guardar para si sentimentos, ressentimentos e esperanças não é saudável, e também não dá aos outros a oportunidade de saberem quem você realmente é.
Queridos Minda & Anjo, voçês nasceram em Esposende. Como era o vosso Natal de crianças? A igreja fazia alguma cerimónia? Na minha terra era assim...os reis vinham da montanha cheia de luzes de tochas. Era algo muito especial para nós, crianças...lembro esse acontecimento com carinho. E vocês? Que tinha de especial vosso Natal?

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço