ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

Olá, companheiros da Ribeira.

Como andei por aqui meio perdida durante uns tempos, apanhei o comboio já com um adianto considerável. Eis o motivo por que tenho passado algum tempo a consultar as pegadas todas que foram ficando por tão belo caminho, um caminho que, como todos os caminhos, só se faz...andando.

Que coisas interessantes por aqui encontrei e com que encantamento comprovo, neste nosso percurso, uma convicção que tenho desde sempre: qualquer projecto envolvendo uma equipa  motivada pelo benefício colectivo é um êxito garantido à partida.

Mas deixemo-nos de palavreado e passemos a ideias. Quero também deixar a sugestão de um tópico talvez interessante para ser aqui abordado: a recuperação do Teatro de Revista que já existiu na nossa terra nos meus tempos de menina e moça.

Como de arquitectura ou engenharia paisagística pouco mais percebo do que aquilo que a sensibilidade comum me diz, aventuro-me com mais à-vontade nestas áreas que exigem de nós algum gosto pelas artes de palco, algum jeito, muito entusiasmo, criatividade q.b., enfim, toda uma gama de talentos que os Esposendenses já deram provas de ter, porque já fizeram teatro de sucesso.

Ao ler coisas anteriores, vi que um dos companheiros, creio que de nome Plácido Ventura, teve acesso a textos desse  memorável guião que o dito grupo interpretou. Já poderia ser um começo.

Não me alongo mais para já. Deixo só a pergunta no ar: VAMOS VOLTAR A TER TEATRO, AGORA NO GRUPO DA RIBEIRA?

Nota: Se esta sugestão já tiver sido dada anteriormente, peço desculpa. Talvez não tenha visto mesmo bem tudo quanto está para trás. 

A todos envio o meu abraço.

Maria Luísa Lamela.

Exibições: 42

Responder esta

Respostas a este tópico

É uma ideia interessante e pode contar comigo para qualquer ajuda (guarda-roupa, cenários, ponto ou coisas que tal ) menos representar pois ia ser uma nódoa.Mas vamos lá cozinhar a ideia.
Beijinhos
Olá Luisinha.
Mais uma vêz as boas lembranças.
Não sei se lembra eu fiz parte dessa revista escrita pelo Sº Plácido,Esposende de Relance.
Embora já um pouco velhota dou todo o apoio á ideia e desde já estou pronta
para ajudar no que for preciso.
Gostei muito de a ver por cá
Disponha de mim.Um beijinho da Augustinha
Augustinha, deu-me muita alegria a sua resposta ao meu desafio para o teatro. Mas antes disso, agradeço-lhe a simpatia do lacinho que me ofereceu.
Agora me lembro de que a Augustinha (posso tratá-la assim, não posso?) fazia parte daquele grande elenco do Teatro. Era o máximo se conseguíssemos mobilizar-nos de novo! Até me emociono só de pensar nisto!
Para já, sei que já somos umpequeno grupo a alimentar esta ideia. A ver vamos.
Um beijinho da amiga Luisinha.
FORÇA LUISINHA!
Espero que o desafio veja uma grande aceitação. Já há três elementos. É ir começando a pensar no assunto.
É engraçado termos a Augustinha como elemento que faz a ponte com a tradição. E gente nova, não haverá aí um grupo para se juntar a este? Imagino que sim.
Podem contar também comigo. Na assistência, claro!
Faço uma sugestão: utilizar a "NOVELA - ESPOSENDE, GENTES DE TERRA, CORAÇÕES DE MAR" como ponto de partida.
Não sei se é fácil, ou sequer desejável, a adaptação. Trabalhosa é certamente, mas penso que poderia ser interessante.
Ó Zé Alexandre! Já estamos a querer voar mais alto do que as asas permitem! Com que então há que adaptar uma novela que ainda não existe a um grupo de teatro que também ainda não existe nem sabemos se existirá! É o que se chama utopia ao quadrado!
Estou em crer que este blog vai dar mais trabalho do que as aulas! Socorro! Tirem-me daqui! Quero regressar à escola!
Mas então...porque é que são 2 e meia da manhã e eu ainda cá estou?!
Um beijinho.

José Alexandre Areia L Basto disse:
Faço uma sugestão: utilizar a "NOVELA - ESPOSENDE, GENTES DE TERRA, CORAÇÕES DE MAR" como ponto de partida.
Não sei se é fácil, ou sequer desejável, a adaptação. Trabalhosa é certamente, mas penso que poderia ser interessante.

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço