ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

O nosso Concelho tão bem posicionado aqui á beira-mar, bem merecia ter outros cuidados e algumas regras, para o tornar mais atraente e acolhedor. Que dirão aqueles que nos visitam?

Há aldeias tão mal limpas, os passeios com silvas, as valetas repletas de altas ervas que limitam a  faixa de rodagem da estrada nacional.

Será que isto serve aos turistas para fazer filmes de publicidade de ou em  Portugal? Em tempos havia um só cantoneiro para toda a freguesia e tudo estava limpinho e ordenado. Ainda lhe sobrava tempo pra ir beber ás meias. Acabou-se o tempo da formação de cantoneiros, ou parece mal nos nossos dias ser cantoneiro? Em breve irão haver eleições e então algo poderá mudar. Quem sabe?

Exibições: 22

Responder esta

Respostas a este tópico

Caro António
Essa crise de que fala é velha. É crise, não financeira ou económica, mas civilizacional, de que o caso que aponta é apenas um sinal. Ia dizer pequeno, mas não é tão pequeno assim.
O tratamento que as entidades responsáveis dão ao espaço público não é mais do que a manifestação natural de como consideram os cidadãos. Referiu a vegetação marginal às estradas e eu acrescento os traçados mal desenhados (que as mais das vezes, ainda em projecto, já se sabe que vai originar acidentes), a sinalização (muitas vezes absurda e anedótica, a transmitir informações erradas e escassas; desgraçado daquele que tem de se orientar pela sinalização), a iluminação, a própria aplicação dos pavimentos (todos vemos aquelas borradas de alcatrão nas bermas, em vez de ser devidamente rematado), agora a outro nível, os muros arruinados, as vedações - que são as paredes da estrada - feitas de qualquer forma (aqui, os particulares têm muita culpa), com os materiais mais variados e inapropriados, etc., etc.
Não há quem nos defenda deste fenómeno. Só o desenvolvimento o poderá conseguir, o que parece cada vez mais longínquo.
Que ridículos estes pólis e outros maiores ou mais pequenos arranjos urbanísticos, autênticas feiras de vaidades, que a maior parte das vezes seria desnecessário se o território fosse gerido com interesse pela causa.
Por todas essas valetas desaparecem fundos comunitários (que eram para nos desenvolver), os nossos impostos e os de outros, deixando tudo cada vez mais na mesma!
A DESIGUALDADE
Tem maneiras e tem sentidos
Ao depender das qualidades
Estas impostas ou justificadas.
A desigualdade até pode fazer mal
Quando pessoas mal iducadas
Se sentem mais que bem formadas!

Aceita-se até a diferença
Com pessoas compreensivas
Que reconhecem quem tem valores.
Hà pessoas sem grandes estudos
A mostrar que são capazes
De darem lições a professores !

Não pela capacidade inteléctual
Mas pela experiência do tempo
E de certas passagens na vida.
Nem todos tivemos bons meios
Uns por falta de boa vontade
Outros sem classe pra dar seguida.

Devemos respeitar sempre os bens
Que cada um possa possuir
E perfeito nem hà ninguém !
Sejamos justos e unidos
Nunca nos fazer-mos escolhidos
Para diminuir o valor de outrem.

Ter respeitos humanos é defeito
Que mostram a mà imagem
Trazendo à sociedade problemas.
Que cada um tenha o direito
De dizer o que é e pode valer
No bom momento com justos temas.

Afinal somos todos dependentes
Cada um com destino desigual
Somos enfim seres mortais.
Não nos adianta correr demais
Derrepente pode vir um mal
Que ajusta então muita gente.
a 25/10/2010










A DESIGUALDADE
Tem maneiras e tem sentidos
Ao depender das qualidades
Estas impostas ou justificadas.
A desigualdade até pode fazer mal
Quando pessoas mal iducadas
Se sentem mais que bem formadas!

Aceita-se até a diferença
Com pessoas compreensivas
Que reconhecem quem tem valores.
Hà pessoas sem grandes estudos
A mostrar que são capazes
De darem lições a professores !

Não pela capacidade inteléctual
Mas pela experiência do tempo
E de certas passagens na vida.
Nem todos tivemos bons meios
Uns por falta de boa vontade
Outros sem classe pra dar seguida.

Devemos respeitar sempre os bens
Que cada um possa possuir
E perfeito nem hà ninguém !
Sejamos justos e unidos
Nunca nos fazer-mos escolhidos
Para diminuir o valor de outrem.

Ter respeitos humanos é defeito
Que mostram a mà imagem
Trazendo à sociedade problemas.
Que cada um tenha o direito
De dizer o que é e pode valer
No bom momento com justos temas.

Afinal somos todos dependentes
Cada um com destino desigual
Somos enfim seres mortais.
Não nos adianta correr demais
Derrepente pode vir um mal
Que ajusta então muita gente.
a 25/10/2010

Responder à discussão

RSS

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço