ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

Blog de Bernardete costa (93)

Viva, meus amigos esposendenses, aqui estou a dizer-vos olá!

MULHER

 

 

O sol espelha-se na inquietude da água, desfolha-se

na singeleza do malmequer;

o sol incendeia a pedra da calçada,

é o sol dum verão na reverberação do ser.

 

Eu que o busco na lâmina do frio, que o resgato

na aragem da noite, o vislumbro nas sombras do rio...

eu que na vida o não soube reter

o indago para além da morte.

 

Eu que componho as vestes em apelos de decência,

perdida no…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 27 dezembro 2013 às 18:14 — 1 Comentário

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 20 dezembro 2013 às 16:47 — Sem comentários

Caro Alexandre:

 

Caro Alexandre:

Ainda que não tendo primado pela assiduidade no site Esposendenses na Ribeira e no Mundo, não deixo de lhe reconhecer o mérito, essencialmente, no que concerne à difusão de ideias, gostos, textos, como à divulgação de histórias da nossa terra, tradições, imagens…, mas também, e com que relevância, o encontro virtual, e não só como bem referiu, dos muitos naturais da terra, familiares e simples amigos e admiradores desta nossa linda Esposende.

A hipótese…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 21 outubro 2013 às 17:39 — Sem comentários

ESPOSENDE VI

Adicionado por bernardete costa em 22 março 2013 às 21:54 — Sem comentários

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 22 março 2013 às 20:47 — 3 Comentários

POEMA ESPOSENDE II

Adicionado por bernardete costa em 19 março 2013 às 16:38 — 2 Comentários

É proibido sonhar

Olá, amigos:

Porque me apetece estar convosco, permitam-me partilhar este singelo poema.

É proibido sonhar

 

Antigamente eu era um eu diferente

peculiar até. O sonho era a meta nas raízes,

a vida o sonho ainda por sonhar.

Antigamente o mar abria portas e janelas,

era o meu tempo de sonhos felizes.

Antigamente os rapazes amavam raparigas

e morriam de pasmo só de vê-las…

Mas o antigamente soltou-se do…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 5 janeiro 2013 às 19:44 — 2 Comentários

UM NATAL PARA OFERECER

 

Quisera ter um natal para vos oferecer,

um ramo de azevinho, um poema de alegria,

mas mataram o meu natal

naquele fatídico dia. Por aonde anda esse Jesus

esquecido das crianças de Connecticut…

 

Quisera ter uma palavra de natal, a luz 

a reluzir nas agulhas do pinheirinho,  a macia voz

na fragrância do carinho, mas meu coração

dói pelo sangue a escorrer dor e iniquidade,

minha razão nega qualquer obscena…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 20 dezembro 2012 às 14:00 — Sem comentários

ESPOSENDE

(este não é, preferencialmente, o meu estilo poético - quadras a  pretenderem métrica (?). Todavia, perdoem o abuso desta minha partilha, pelo amor que dedico a esta Esposende.

 

Esposende eu sou em ti

De coração fascinado.

Teu rio, teu mar, aqui 

Atrai céu espelhado.

 

De canto sílabas soltas,

Voo de gaivotas circular.

Rimas em ondas revoltas

Em teu ventre a naufragar.

 

Canto o azul e a cidade

Em…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 27 novembro 2012 às 18:27 — 3 Comentários

EM DIA DO SEU ANIVERSÁRIO, À MINHA ESPOSENDE

À MINHA ESPOSENDE

 

Esposende é invenção de séculos a zarpar navios

agasalhando estios como eu

querendo mundo e céu e descobrimento.

Aqui nasci e nesta aragem inscrevi o amor e o desamor

num alento a suprimir sofrimento.

 

Hoje, irmãs gémeas, estremecemos no gesto das palmeiras

no sulco poético das…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 19 agosto 2012 às 19:25 — 1 Comentário

FASCÍNIO D'ÁGUA

A maré adorna a noite enredada nos bancos de areia

e nem sempre cinge o verão ou o inverno;

no sossego do Outono

as estrelas segredam uma noite igual a tantas outras,

quando os barcos subindo pelo rio até ao mar

num abraço sem medo,

confiam aos deuses o destino do homem.

 

O pescador não adormece sob o feitiço da lua

nem o brilho das estrelas o seduz.

Ouve a voz do rio num desafio e sente a alma perto da sua.

O…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 30 julho 2012 às 18:48 — 1 Comentário

Meus livros...para quem desejar reconhecer

Adicionado por bernardete costa em 17 julho 2012 às 16:07 — Sem comentários

E já agora, estão todos convidados para um cafezinho, aqui mesmo no Vermelhinho, onde neste momento vos escrevo, sem árvores ainda e..acima de tudo...com um friozinho de roer os ossos. Já imaginaram …

E já agora, estão todos convidados para um cafezinho, aqui mesmo no Vermelhinho, onde neste momento vos escrevo, sem árvores ainda e..acima de tudo...com um friozinho de roer os ossos. Já imaginaram este espaço coberto pela densa folhagem dos plátanos?? Eu gosto assim. Digo mais: Esposende tem de apostar numa narrativa em que as principais personagens são o sol, o rio, o mar e...os esposendenses, "É gente boa!É gente abençoada!"

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 6 julho 2012 às 11:16 — Sem comentários

ALGUÉM DUVIDOU DA MINHA VEIA ROMÂNTICA (?). PERMITAM-ME PARTILHÁ-LA CONVOSCO.

AQUIETA-TE

 

Aquieta-te, meu amor.

O nosso amor resplendece

na respiração noturna,

e apenas desfalece

pela alvor

na mordida cansada da pele.

 

Toma a minha nudez, meu amor,

e apronta em teu ventre

um jacinto de espuma.

Só depois bebe

 do cálice fremente

o  cicio leve de pluma.

 

Aquieta-te, meu amor,

e sustém em teu colo

o meu corpo ardente.

Mas resguarda-te do…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 6 julho 2012 às 10:30 — 1 Comentário

ESPOSENDE FEITICEIRA

Amigos, para parti har convosco, este registo mais tradicional, incomum no meu estilo poético.

 

 

ESPOSENDE FEITICEIRA

 

Esposende cidade rio

Espelho de céu e de mar

Abraças o teu casario

No sortilégio dum olhar

 

Ó terra de encantos meus

Acordas nas neblinas…

E o barco a dizer adeus

A rasgar essas cortinas

 

Cidade dunas e areais

Agasalhas os amores

Que em suspiros e…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 2 julho 2012 às 21:26 — 3 Comentários

FANECAS FRITAS COM ARROZ DE ERVILHAS...

Estou aqui para deixar expressos os meus agradecimentos deslumbrados e o meu pedido de desculpas. Os meus deslumbrados agradecimentos a todos e a todas que, empenhadamente e com muita simpatia, providenciaram o lauto almoço aos esposendenses, a alguns esposendenses deste blog que assim entenderam ou puderam estar presentes; o meu pedido de desculpas, porque não me foi possível contribuir na mesma medida com os meus préstimos, saindo prematuramente do aprazível convívio, condicionada por…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 1 julho 2012 às 20:16 — Sem comentários

20º ANIVERSÁRIO DA BIBLIOTECA MANUEL BOAVENTURA

No âmbito dos festejos inerentes ao vigésimo aniversário da Biblioteca Manuel Boaventura, Esposende, foi com inexcedível prazer que assisti à opereta “Nos Castelos de D. Afonso Henriques”, da autoria de José Carlos Godinho. Uma visão histórica divertida e, porque não, um pouco desmistificadora da grande e ilustre figura que foi o nosso rei conquistador. Ou seja, o nosso 1º rei, D. Afonso Henriques, contou com homens valentes e honrados em todo o processo de conquista do território português,…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 24 junho 2012 às 20:27 — Sem comentários

ESPOSENDE, ENCANTOS MEUS...

Adicionado por bernardete costa em 24 junho 2012 às 20:21 — Sem comentários

EU QUERO DIZER, NÃO!

Vive-se numa morte antecipada,

num país sem país, numa vergonha

desavergonhada onde as árvores já confundem

primaveras e abris, onde as gaivotas perderam as asas

e voam sobre as casas mendigando pão…

Vive-se num país de homens maus

bichos lacraus de veneno afiado, destilado

na confusão de números e défices e ratings e resgates.

Vive-se quase de rastos, com debates e dislates  a burlar,

quase mendigos, muitos já o são

nunca…

Continuar

Adicionado por bernardete costa em 19 junho 2012 às 17:51 — Sem comentários

© 2019   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço