ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

Ainda na onda das anedotas sobre os Alentejanos:

Um Alentejano ia pela primeira vez fazer uma VIAGEM de AVIÃO, quando uma coisa no Aeroporto lhe chama a atenção. Era o computador com voz que identificava os passageiros por um novo sistema de reconhecimento de imagem
Assim que ele passou, o computador acusou: MANUEL, 52 ANOS,PORTUGUÊS, CASADO, PASSAGEIRO DO VOO 1455 DA TAP.
Impressionado, o Manuel foi ao W.C., rapou o bigode e mudou a camisa.
Ao passar pelo computador, a vóz acusou novamente:
MANUEL, 52 ANOS, PORTUGUÊS, CASADO, PASSAGEIRO DO VOO 1455 DA TAP.
Manuel não se deu por vencido! Voltou ao W.C. fez uma maquilhagem perfeita,colocou uma peruca ruiva e envergou um Vestido de mulher.
" Agora sempre quero ver se a porcaria da máquina me reconhece!"- Pensou ele; A máquina acusou de novo:
MANUEL, 52 ANOS, PORTUGUÊS, CASADO, POR CAUSA DAS PANELEIRICES ACABA DE PERDER O VOO 1455 DA TAP:

Exibições: 22

Comentar

Você precisa ser um membro de ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO para adicionar comentários!

Entrar em ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

Comentário de Augusta Eugenia da Cunha Eiras em 16 janeiro 2011 às 20:26

O alentejano Ti Maneli pensou bem e decidiu que os ferimentos que sofreu num acidente de trânsito eram sérios o suficiente para levar o dono do outro carro ao tribunal. No tribunal, o advogado do réu começou por perguntar ao Ti Maneli:
- O Senhor na altura do acidente não disse “Estou óptimo”?

Ti Maneli responde:
- Bem, eu vou contar o que aconteceu. Eu tinha acabado de colocar minha mula favorita na camionete…

- Eu não pedi detalhes… Responda somente à questão! – Interrompeu o advogado.

E continuou o alentejano:
- Bem, eu coloquei a mula na camionete e estava descendo a rua…

O advogado interrompe novamente e diz:
- Meritíssimo, estou tentando estabelecer os factos. Na cena do acidente este homem disse ao soldado na GNR que estava bem. Agora, várias semanas após o acidente ele está tentando processar meu cliente, e isto não pode ser. Por favor, poderia dizer-lhe que deve responder somente à minha pergunta.

Mas, nesta altura, o Juiz mostra-se muito interessado na resposta do Ti Maneli e diz ao advogado:
- Eu quero ouvir a versão dele.

Ti Maneli agradece ao Juiz e prossegue:
- Como eu estava dizendo, coloquei a mula na camionete e estava descendo a rua quando uma pick up passou  o sinal vermelho e bateu num lado da minha camionete. Eu fui lançado fora do carro para um lado da rua e a mula foi lançada pro outro lado. Eu fiquei muito ferido e mal me podia mexer. Mas eu conseguia ouvir a mula zurrando e grunhindo e, pelo barulho, percebi que ela estava muito ferida. Em seguida chegou o soldado da GNR. Ele ouviu a mula gritando e zurrando e foi ver como ela estava. Depois de ter olhado bem para a mula, abanou a cabeça, pegou na pistola e deu-lhe três tiros. Depois, atravessou a estrada com a arma na mão, olhou para mim e disse:
- “Sua mula estava muito mal e eu tive que a abater. E o senhor, como é que se está a sentir?”

- Aí eu pensei bem e disse: … Eu?… Eu estou óptimo! (Ia dizer o quê? Que estava mal, não?)

Comentário de Carlos Manuel de Lima Barros em 16 janeiro 2011 às 19:05

Salomé:

Boa tarde:

Parabéns pela anedota dos " sempre vitimados" alentejanos.

Um abraço

carlos

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço