ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

O encontro de todos os filhos ou rendidos ao Privilégio da Natureza

BRAGA, 05 DE JANEIRO DE 2011 (Noite de Reis)

.

A versalhada singela

Que, se quiserdes, lereis,

É de uma mana Lamela

Que veio cantar os Reis.

.

Abri-me a porta, bom povo,

Deixai-me estar entre vós,

Dai-me uma gemada de ovo,

P’ra afinar a minha voz.

.

Cada amigo esposendense

Nestas quadras é lembrado,

E não quero que alguém pense

Que não foi contemplado.

.

REFRÃO:

Aqui estamos nós todos reunidos

A cantar os Reis aos nossos amigos.

Não é por interesse, é por amizade,

A cantar os Reis à sociedade.

.

1 _ Aos amigos da Ribeira,

……Lhes desejo de verdade

……Que tenham a vida inteira

……Saúde e felicidade.

.

2 _ Ao Senhor Administrador

……Desejo, entre outros talentos,

……O de ser provocador

……De bons e belos eventos.

.

3 _ Desejo a quem tem saudade

……Da terra da sua infância,

……Que sinta a nossa amizade

……Ultrapassar a distância.

.

4 _ A quem aqui põe pinturas,

……Fotografias ou versos,

……Desejo as maiores venturas

……E muitos, muitos sucessos.

.

5 _ Desejo a quem conta histórias

……De tantos casos reais

……Que se avivem as memórias,

……P’ra nos contar muitas mais.

.

6 _ A quem anima os serões

……Desejo tenha consigo,

……Entre outras compensações,

……A de estar num grupo amigo.

.

7 _ A quem põe quebra-cabeças

……Quero agora desejar

……Que mande novas remessas

……E não nos deixe parar.

.

8 _ Desejo a quem diz piadas

……Para divertir a malta

……Que mande doses dobradas,

……Porque rir faz muita falta.

.

9 _ A todos disse uma graça,

……E digo, ao chegar ao fim:

……Não há por aí quem faça

……Uma quadra para mim?

.

10 _ Feliz ano vos desejo

……A todos, sem excepção.

……Deixo-vos também um beijo

……E um grande xi-coração.

.

Luisinha Lamela

NOTA: FALTAM OS FERRINHOS, OS BOMBOS, AS PANDEIRETAS, O REC-REC E DOIS TESTOS DE PANELAS PARA ACOMPANHAR ISTO. MAS NÃO CUSTA NADA IMAGINAR...

 

 

Exibições: 1131

Comentar

Você precisa ser um membro de ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO para adicionar comentários!

Entrar em ESPOSENDENSES - NA RIBEIRA OU NO MUNDO

Comentário de Augusta Eugenia da Cunha Eiras em 11 janeiro 2011 às 22:42

 São lindos António.Parabéns.

Obrigada Luisinha por divulgar e não deixar escondido. Um beijinho

Comentário de Luisa Lamela Gomes dos Santos em 11 janeiro 2011 às 20:56

Amigos, o António Miquelino enviou-me uma mensagem comentando a minha Cantiga de Reis. Nesse comentário, inclui versos da sua autoria dedicados à nossa Mãe. Além disso, conta uma peripécia muito engraçada do seu tempo de rapaz pequeno, levadinho da breca.

Parece-me sempre pena este tipo de coisas ficar somente no conhecimento de uma pessoa. Por isso, com prévia autorização, vou postar essa mensagem, através da qual todos poderão ver como também este António dá o seu jeito na poesia (já foi assim que o outro António se deu a conhecer _ uma mensagem que me enviou trazia o seu primeiro poema, no meu entender digno de ser divulgado na rede, o Zé Alexandre teve a mesma opinião e fez depois várias postagens de textos do António. Agora, ele próprio as faz).

Então, cá vão os versos do A Miquelino dedicados à nossa Mãe (já me perguntou se os recebi) e o resto da mensagem. Vejam o carinho que põe no poema e, depois, a malandrice que engendrou.   

.

«VERSOS DE REIS

OLÁ LUISINHA. Gostei muito  de ler todos os seus versinhos.

No Largo Rodrigues Sampaio

Sempre que ali passava…

Olhava para uma janela

Para ver o sorriso dela

Que tanto me alegrava!

.

E ali passava este menino pobre,

Sem eira nem beira,

A ver aquela senhora

A mirar toda a Ribeira.

.

Estes dois versinhos são uma reflexão de quando menino ia a farmácia da nossa querida »BERTINHA» comprar cinco coroas de acetona para a sua vizinha Magnifica, tia da minha mãe. Como ela não me dava gorgeta,  eu comprava quatro coroas e enchia o resto do frasco no funtanário da Igreja .Com esses cinco tostões ia ao srº Abilio Coutinho comprar um trigo com dois quadrados de chocolate preto. Era bonito, sei que serei perdoado por DEUS.Um beijinho para si e toda a sua família.»

António Miquelino

Comentário de Lino António Silva Martins Rei em 6 janeiro 2011 às 20:20

 Binde pobo da ribeira

 Cantar bersos à Luizinha

 De reizadas ou Janeiras

 Que Deus lhe dê muita vidinha

 

Que não faltem instrumentos

Muitos bombos e saxofone

Acordai-a bem cedinho

P'ra blogar como o trombone

 

E se parecer "desafinada"

Correide logo ao especialista

Bós é que andais doentes

E não bendes bem da vista.

 

Zé das rimas

 

Comentário de Luisa Lamela Gomes dos Santos em 6 janeiro 2011 às 1:05

Obrigada, querida amiga.

Este pessoal da Ribeira é muito generoso! Peço apenas uma quadrinha e iria contentar-me mesmo só com uma, mas saem-me ao caminho estes poetas e poetizas com 3 e 4 quadras (ou quadras "maiores")! Se calhar, é porque a veia poética é forte e farta e não cabe em 4 versos, espraiando-se por muito mais. Ou será que a destinatária das quadras espevitou a inspiração?

Fico feliz por incentivar estas criações tão bonitas e fraternas. Muito obrigada.

Um beijinho musical, com acompanhamento de pandeireta e ferrinhos.

Comentário de Augusta Eugenia da Cunha Eiras em 6 janeiro 2011 às 0:48

Aqui venho bem sabeis

A cantar á Luisinha

Nesta noite de Reis

Uma canção pequenina

 

Também canto as Janeiras

Nesta noite escurinha

Para que na vida inteira

Tenha muita saúdinha

 

Que tenha um ano imponente 

Junto dos seus netinhos

Será o melhor presente

Para esta Vóvozinha 

 

Isto não á condições

e melhor não sei fazer

Beijinhos e xi corações

Lhe envio com prazer

 

 

Comentário de Maria Paula Fernandes Ferreira em 5 janeiro 2011 às 23:19

   Um grande xi-coração e parabéns Luisinha.Os instrumentos não faltaram,não.Foi mesmo só imaginá-los.

   Beijinhos

Comentário de Luisa Lamela Gomes dos Santos em 5 janeiro 2011 às 23:16

Agora, foi mesmo para mim. E, como tem cinco versos em vez dos quatro convencionais, fico altamente lucrada. A isto chama-se generosidade, ou seja, dar mais do que o que se lhe pede. E o trocadilho entre "Reis" e "rainha" saiu muito bem.

Aparte brincadeiras, aqui vai um beijinho doce para quem é doce.

Comentário de MARGARIDA REIS em 5 janeiro 2011 às 22:55

Vamos ver se consigo

uma quadra p'ra Luisinha

como rimar não é comigo

vou acabar dizendo

que na noite de reis ela é a rainha

Comentário de MARGARIDA REIS em 5 janeiro 2011 às 22:41
Até invento verbos e tudo.
Comentário de Luisa Lamela Gomes dos Santos em 5 janeiro 2011 às 22:40
Muito agradecida, Guidinha, pela tua quadra, mas esta não foi para mim, como pedi. De qualquer modo, participar é que interessa, não é?

© 2020   Criado por José Alexandre Areia L Basto.   Ativado por

Badges  |  Relatar um incidente  |  Termos de serviço